Palmeiras vende zagueiro Mina para o Barcelona por R$ 48 milhões

O Palmeiras anunciou, nesta quarta-feira, a venda do zagueiro Yerry Mina, de 23 anos, para o Barcelona, por 12,39 milhões de euros (ou R$ 48 milhões, na conversão atual). O Verdão ficará com 10 milhões de euros. O Santa Fe, que tinha 20% dos direitos econômicos de Mina, ficará com 1,8 milhão de euros. Há ainda pouco mais de 590 mil euros que serão destinados ao mecanismo de solidariedade da Fifa, no qual os formadores (clubes pelos quais o atleta passou dos 12 aos 23 anos) têm direito a receber um total de 5% de cada transferência, divididos proporcionalmente ao período. Com isso, Yerry Mina se torna a segunda maior venda do Palmeiras na década, atrás somente de Gabriel Jesus, que custou 32,75 milhões de euros (R$ 121 milhões, na conversão da época) ao Manchester City em dezembro de 2016. Trata-se da maior transferência da história do Verdão. Palmeiras e Barcelona tinham um acordo para que Mina fosse para a Espanha depois da Copa do Mundo. Para levar o zagueiro colombiano já agora em janeiro, o Barça teve de desembolsar um pouco mais do que havia previsto (9 milhões de euros), fechando a operação toda em 12,39 milhões de euros (ou R$ 48 milhões, na conversão atual). A transferência supera a venda de Vitor Hugo, que chegou a ser parceiro de zaga de Mina, para a Fiorentina. Em 2017, também sob a gestão de Alexandre Mattos no departamento de futebol, o Palmeiras vendeu o defensor por 8 milhões de euros (ou R$ 27,5 milhões). Mina não é, porém, o zagueiro mais caro da história do Palmeiras. Em 2008, o zagueiro Henrique, cujos direitos pertenciam à Traffic (então patrocinadora), foi vendido por 10 milhões de euros ao Barcelona. No início de 2014, o mesmo Henrique, que tinha voltado para o Verdão, foi novamente negociado: o clube ficou com 80% dos 4 milhões de euros pagos pelo Napoli, da Itália. Em julho de 2009, mas ainda na década passada, o mesmo ocorreu com o atacante Keirrison, que também era ligado à Traffic: o Barcelona adquiriu seus direitos por 14 milhões de euros. Outra transferência fechada em euros na década passada e com valor alto foi a do chileno Valdivia, negociado com o Al Ain, dos Emirados Árabes, por 8 milhões de euros, em 2008. Há ainda o caso de Roque Júnior, vendido pelo Palmeiras para o Milan em junho de 2000 por US$ 16 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *